1.11.10

Digestivo Cultural.


Como a clássica frase diz: "Vá ler um livro!", aqui está: “O Jogo da Amarelinha” - Julio Cortázar.

A grande sacada é que o livro pode ser lido de duas maneiras diferentes; na primeira a história  está em ordem de capítulos, do 1º ao 56º, e na segunda é possível pular de um para o outro,  a indicação do pulo fica no final do capítulo que se lê, revelando outro lado da obra.
Neste livro acompanhamos Horacio Oliveira, argentino que vive na França, e seus amigos de diversas nacionalidades (denominados Clube da Serpente) que se encontram nas noites de Paris para ouvir música e discutir sobre vida, filosofia, amor e música. Com a brincadeira de pulo de capítulos você pode pegar o livro em qualquer página e se  surpreender. A cada leitura descobrimos novos personagens nos mesmos personagens.  Outro triunfo é que, a cada etapa, a voz narrativa muda entre primeira e terceira pessoa e as descrições dos personagens independem de suas aparências físicas, sustentando-se apenas pelos diálogos de cada um, pela música que ouvem, pelas idéias, etc.

Todos esses elementos e invenções narrativas servem para desconstruir a obra que,  de romance, passa a ser um antirromance que prende o leitor do começo ao fim, do meio  ao começo, do fim ao meio e por aí vai.

Cada leitor cria o seu próprio livro e ritmo. Boa leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se é Arte, é Categóricos!