8.4.11

EDIÇÃO ESPECIAL!

   Massacre, por quem?

    Na última quinta-feira (8) o massacre na zona oeste do Rio de Janeiro envolvendo o ex-aluno Wellington Menezes de Oliveira, 24, e alunos da escola municipal Tasso da Silveira trouxe uma grande comoção nacional, o primeiro registrado no país. Uma Barbárie injustificável, mas ao contrário do que jornais abordam com sensacionalismo, existem sim explicações, e explicações obvias. Como abordado na matéria anterior, casos de bullying estão crescendo de forma avassaladora no Brasil. É necessário preparar professores para perceber princípios de exclusão e perseguição a determinados alunos, é necessário garantir a esses professores um sistema de segurança maior para que estímulos os motivem a exercer essa percepção.
   É na escola que se aguça na criança e adolescente uma sensibilidade para o mundo e é na escola que pode se aguçar reações de revoltas que quando não drenadas ficam retraídas até gerar uma grande bola de neve causando efeitos infelizmente irreversíveis. Isso por sua vez, não é de tanta preocupação para quem deveria e tem o poder para solucionar tais questões. Enquanto eles não fazem nada, todos devem se atentar saiba como lidar com situações aparentemente estranhas de crianças de adolescentes, é importante lembrar também, que não precisamos nos tornar neuróticos e achar que tudo é bullying ou que tudo é por motivos psicológicos, é simplesmente uma questão de diagnosticar e dar voz a situação, com conversas, orientações, ajudas especializadas.
  Pais fiquem atentos aos seus filhos, educadores abordam questões de inclusão e você caro leitor não caia nessa de sensacionalismo barato!

Trechos do filme "Bang bang, você perdeu!", assista e tire suas conclusões:





Nota por Dedé Vieira

3 comentários:

  1. Realmente concordo contigo no que tange ao Bullying, é algo que está impregnado em nossas escolas, sejam públicas ou particulares e que até agora ainda não se tomou uma providência à altura, mas se todas as crianças que tivessem sofrido bullying saissem por ai armadas para matar, ai seria complicado, no caso desse cara, talvez ele já tivesse uma pré-disposição para isto antes de sofrer o assédio no colégio, se é que ele sofreu, portanto, é um tema delicado e sempre vai se cogitar os reais motivos dele ter cometido essa atrocidade.

    Ótimo texto e parabéns pelo blog. Abração Dedé.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo01:41

    Foram equivocados em jogar a reponsabilidade para o professor, a educação vem primeiramente de casa, o professor, a escola, a familia e a comunidade devem fazer parte dessa campanha contra o bullyng e humilhação nas escolas, E FORA DELA, onde também ocorre.

    ResponderExcluir
  3. Aedição11:16

    Com certeza, concordamos com você, mas infelizmente é na escola que éxiste maior propabilidade em nascer indícios de atitudes referentes a exclusão.Não estamos jogando a culpa nos professores, ao contrário o A Vida é o Movimento está em favor de todos os educadores, o que mostramos com a matéria foi a iniciativa de se propor melhores condições de trabalho a esses mestres para que assim possam ter maio autônomia dentro da escola. Hoje um professor está restrito ao aluno, não existem leis que propiciam a eles essas possibilidades de impor certo "respeito", e sim todos devem estar atentos e em prol na luta contra a exclusão social!

    ResponderExcluir

Se é Arte, é Categóricos!