16.6.11

Cidade Underground

 por Lily Vieira

...'Bora' pro Samba!


  O Samba de raiz é uma cultura Brasileira. Ele nasceu na Bahia, no século 19, da mistura de ritmos africanos. Mas foi no Rio de Janeiro que ele criou raízes e se desenvolveu, mesmo sendo perseguido. Durante a década de 1920, por exemplo, quem fosse pego dançando ou cantando samba corria um grande risco de ir batucar atrás das grades. Isso porque o samba era ligado à cultura negra, que era malvista na época. Só mais tarde é que ele passou a ser encarado como um símbolo nacional, principalmente no início dos anos 40, durante o governo de Getúlio Vargas. Nessa música brasileiríssima, a harmonia é feita pelos instrumentos de corda, como o cavaquinho e o violão. Já o ritmo é dado, por exemplo, pelo surdo ou pelo pandeiro. Com o passar do tempo, outros instrumentos, como flauta, piano e saxofone, também foram incorporados, dando origem a novos estilos de samba.  O samba até ganhou um dia para a sua celebraçãos que é o Dia 02 de dezembro, dia nacional do samba.



    Uma nova geração de sambistas está surgindo e um deles é Marquinho dikuã nascido em São Paulo, no bairro de Capão Redondo, em 26 de outubro de 1977, desde pequeno seu envolvimento com a música foi inevitável.


    Contra a vontade de sua mãe, freqüentava os bailinhos próximos à sua casa e se encantava com as muitas bandas que havia no seu bairro. Por volta dos 10 anos, criou suas primeiras composições. Aos 12 anos, conheceu o cavaquinho, instrumento fascinante para ele, mas só aos 16, quando começou a trabalhar como office-boy, pôde comprar um. Marquinho formou vários grupos de samba, mas devido ao seu talento havia a incompatibilidade com os demais componentes; daí então resolveu seguir carreira sozinho, aí poderia colocar em prática todas as suas idéias sobre o samba, sem dividir opiniões. Autodidata, Dikuã percebeu que poderia criar suas próprias letras e melodias.

   Estudou voz e estética, na Universidade Livre de Música (ULM), curso livre que lhe proporcionou noções básicas de interpretação. O primeiro e inesquecível show aconteceu no dia 24 de março de 2001, na Casa de Cultura de Santo Amaro, que teve repercussão muito positiva. Participou de eventos importantes para sua formação musical, inicialmente se integrando como compositor da Comunidade Samba da Vela; logo após, por intermédio da CC Santo Amaro, se apresentou nas festas: "Notas Florais", "BlumenFest", "1°Femusa" Festivalde Música Popular de Santo Amaro, obtendo a 5°colocação.

    Participou também das festividades do "450° aniversário do Bairro de Santo Amaro". Em março de 2002 associou-se ao "Clube dos Sambistas de São Paulo"; por último, a participação no CD "Respeito ao Samba"do sambista Emerson Urso, convite que o deixou muito feliz e honrado. Suas referências musicais estão divididas em dois estandartes: "Portela e Mangueira", tendo como ícones Paulinho da viola e Nelson Cavaquinho - este sendo a referência maior, na linha melódica. Hoje, entre uma composição e outra, esboça o projeto de fazer seu próprio CD, com músicas próprias e participações de parceiros e amigos, comonuma grande roda de samba. Seu sonho é um dia poder cantar com o maior parceiro de seu ídolo, Guilherme de Brito.


    Marquinho dikuã é uma ótima referência do samba de raiz além de  um excelente compositor e músico , valoriza seu dom de ser sambista com suas letras e composições onde transmite uma mensagem positiva aos novos sambistas ou ate mesmo as bandas que estão surgindo. Não desistir dos sonhos e ir a luta, batalhar, além de citar realidades do nosso cotidiano são alguns dos temas abordado pelo estilo. O samba de raiz tem grande importância na nossa cultura pois é uma marca no nesso universo brasileiro de música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se é Arte, é Categóricos!