11.7.11

Sociedade em Difusão

 por Carmem Hernandes    
   Você, se sente seguro?

    Oi pessoal, não sei se sabem, mas resolvi tirar umas férias e posteriormente me ausentei do AVM. Espero que me perdoem! Mas estava aqui olhando meus e-mails quando vi que tenho algo bom e muito importante para compartilhar com vocês.

     Em 10 de junho deste ano tive uma conversa por e-mail com André Zanetic, doutor em Ciência Política pela USP, especialista em segurança pública e professor da Escola de Administração do Instituto Mauá de Tecnologia. Cujo assunto da conversa foi a segurança urbana e como a sociedade pode fazer sua parte para contribuir na melhoria deste problema que afeta a todos.


Aí vai  na integra essa conversa:


C.Hernandes: Cabe também à sociedade ajudar a melhorar a situação de falta de segurança no dia-a-dia das cidades?

André Zanetic: “Muitas são as ações que cabem à sociedade no enfrentamento dos problemas de segurança e violência nas cidades brasileiras. Exemplo dessas ações é o surgimento de um número significativo de associações comunitárias, ONGs e grupos acadêmicos voltados a pesquisar e compreender melhor a dinâmica desses problemas, e também a construir projetos e ações práticas voltadas a sua resolução. A consciência de cada um referente aos riscos existentes na sociedade e as características dos lugares onde moram e em que circulam, assim como as pequenas medidas de proteção individual não deixam também de ter a sua importância.”

C.Hernandes: Quais os fatores que mais ajudam no aumento da violência numa cidade? Fatores sociais, econômicos, culturais, etc? Qual o mais critico em sua opinião?

André Zanetic: “Esta é uma questão controversa, não havendo um consenso com base nas pesquisas já realizadas sobre o tema. Isso ocorre, entre outros fatores, porque há diferentes formas de crime e violência, e essas ligam-se a diferentes causas e diferentes contextos. Por exemplo, as melhorias econômicas podem ao mesmo tempo ampliar ou reduzir os crimes contra o patrimônio - podem reduzir esses crimes por diminuir a insatisfação com a carência de bens; mas, por outro lado, o aumento de bens em circulação pode ampliar as oportunidades para esses crimes ocorrerem. Apesar das controvérsias, algumas relações são mais bem estabelecidas, como a concentração dos crimes contra a pessoa (especialmente homicídios) nas áreas mais pobres, principalmente em regiões com grande desigualdade de renda. Aspectos como a ausência de freios morais, tráfico de drogas e armas e a desestruturação do espaço urbano são também apontados como fatores importantes capazes de impulsionar a violência e o crime.”

C.Hernandes: E a mídia? Ajuda ou atrapalha?

André Zanetic: “A ampla liberdade de transmissão de informações é sempre positiva e deve ser sempre ser incentivada, compondo inclusive um aspecto fundamental da vitalidade da democracia. Um problema comum aos meios de informação, entretanto, está ligado à recorrente superficialidade e falta de qualidade na cobertura dos diferentes temas de interesse, o que ocorre não apenas com relação a questões de segurança e violência. Pelas características próprias desta área, que ainda sofre com a sombra do passado recente do regime militar e pelo sigilo com que muitas dessas informações são sempre tratadas, acredito que esses problemas acabem sendo ainda maiores. O foco exagerado em certos temas mais "midiáticos", em detrimento de outros tão ou mais importantes, é também um problema comum no que diz respeito a mídia, e que pode ter resultados muito negativos. Quanto mais cobertura e divulgação, melhor, mas acredito que temos ainda muito a avançar com relação à qualidade.”


Estou completamente de acordo com André Zanetic quando fala que os meios de comunicação “ainda sofre com a sombra do passado”. Sim, esses meios ainda estão subjugados a herança do regime militar, da condição de estar contra ou a favor do governo atual, direita ou esquerda, numa postura quase política.


    Na minha particular opinião, é rara a notícia desprovida de sensacionalismo ou tendenciosa. Deixo claro que é minha essa opinião e não do entrevistado. Por isso, que antes de tudo, cabe a cada um de vocês, ou melhor, de nós, lembramos que estar munido da verdade é um pouco nossa responsabilidade também. Estar informado hoje é um dever, e digo também que é um direito. Complicado, não é?


    Devemos tentar averiguar os fatos de vários pontos de vista e se possível desenvolver o nosso também. Nossa opinião é mais que importante. Não se deixem levar pela primeira impressão que uma notícia trás. Seja Crítico! Seja informado! Abram seus Olhos. Busque sempre! Acho que já disse isso antes.


    E no que diz respeito a nossa atuação para melhorias na questão da segurança urbana, procure conhecer em seu bairro ou comunidade se há uma associação de moradores e o que estão fazendo para melhorar a segurança ao seu redor, informe-se, cobre as autoridades, envie cartas, e-mails. Se presenciar um dia algum crime, testemunhe anonimamente. Se algum delito for cometido contra você, faça boletim de ocorrência. O B.O. ajuda no controle dos índices de criminalidade e assim a polícia terá mais condições para atuar. Enfim, muitas são as formas de ajudar. Seja cidadão responsável. Movimente-se!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se é Arte, é Categóricos!