9.4.13

Legalização da Maconha, você é a favor?


Essa semana o Categóricos abre conversa sobre o movimento da Legalização da Maconha. Fomos afundo no assunto e entrevistamos  especialistas , profissionais que lidam diariamente com dependentes químicos. Perguntamos a eles a pergunta temática dessa matéria. O que você vai ler agora é a tese de pessoas que sabem muito bem do que estão falando, Veja:


Paulo Rossi é do Grupo Recuperar - Clinica de Recuperação de dependentes químicos de São Paulo. Rossi trabalha com dependência química a mais de 15 anos.

Rossi - Sou contra a liberação da Maconha, pois em 80% dos casos de internação de drogas a pessoa começou com a maconha, ou seja, é uma porta de entrada para um caminho muitas vezes sem volta. Menciono também a questão da esquizofrenia que hoje em dia é muito maior em usuários deste tipo de droga, acredito que seja por causa do aumento de seu THC.
 Pesquisas realizadas concluem que a maconha é uma droga que provoca dependência, entretanto menos que o tabaco ou o álcool. O uso da maconha é associado a variações hormonais (diminuição da testosterona em homens, estrogênio e progesterona em mulheres); além disso, pode causar dificuldades de memóriacoordenação motora e raciocínio. Na saúde mental algumas vezes é citada como um gatilho para a esquizofrenia. Alguns estudos associam o uso prolongado da maconha com o desenvolvimento de cânceres, pois sua fumaça possui de  50% a 70% a mais de hidrocarbonos cancerígenos que o tabaco.

Entrevistamos também Marcelo de Oliveira que é Terapeuta Holístico, psicoterapeuta e fitoterapeuta da Clinica Amparo Água e Prata

Marcelo – Não Sou a favor. A legalização é muito contraditória, pois estamos falando de um entorpecente e entende-se que não existe nível seguro de uso, dizer que é crime usufruir ou portar estimula o uso, seja por rebeldia ou qualquer desequilíbrio comportamental. Usar comparações com outros países requer reformulação de judiciário, sistema de saúde, policiamento e pontos de uso e distribuição e mesmo com essas precauções não amenizam os malefícios causados pelo uso de maconha. Temos alguns efeitos colaterais advindos do uso tais como: problemas arteriais e de circulação cerebral, distúrbios alimentares, perda de noção de tempo, abreviação em alguns casos do surgimento de patologias psiquiátricas desde uma depressão, distúrbios afetivos, esquizofrenia, dificuldade de concentração, alucinações, dificuldade em cumprir horários, falta de higiene e apatia esses são apenas alguns dos muitos efeitos causados pelo consumo. Lembramos também que, a maconha na maioria das vezes é o entorpecente primeiramente usado por aqueles que mais tarde chegaram a usar drogas mais fortes como cocaína, crack e etc, tornando-se dependentes químicos, e o desenvolvimento deste desequilíbrio Biopsicossocial os levaram a CLÌNICAS, CADEIAS e em muitos casos a MORTE, por trás de qualquer entorpecente existe uma gama de crimes é como um efeito cascata, ou seja, legalizar vai continuar matando, prendendo e internando pessoas. E com isso, quem ganha com a legalização?

Os Redatores
Somos contra a Legalização da Maconha pelos motivos que foram muito bem explicados pelos nossos convidados, porém temos que ressaltar que a Cannabis sativa  pode ser usada com fins medicinais como agente antiemético, estimulador de apetite, podendo ser usada em casos de Alzheimer, câncer terminal e HIV no aumento de peso, auxiliar contra espasmos musculares e movimentos desordenados, sendo útil também em casos de glaucoma. Unicamente para fins medicinais!


Entrevistados 
Paulo Rossi - Especialista em Dependencia Quimica / Grupo Recuperar
Marcelo de OliveiraFarmaceutico-Bioquimico pós graduado em Farmacia Clínica CRF/SP 35.015


AgradecimentosGrupo Recuperar Clínica Amparo Água e Prata
*Para maiores informações os contatos estão disponíveis nos ícones >> na barra ao lado 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se é Arte, é Categóricos!