31.5.13

Conto a conto!

Ultima página
Flora Figueiredo

Mais uma vez o tempo me assusta.
Passa afobado pelo meu dia,
atropela minha hora,
despreza minha agenda.
Corre prepotente a disputar lugar com a ventania.
O tempo envelhece e não se emenda.
(...)


Flora Figueiredo deixa evidente sua intimidade com o mundo, abraçando o cotidiano com vitalidade e graça às vezes romântica, às vezes irreverente e turbulenta. Sempre dentro de uma linguagem concisa e simples, plena de sutiliza verbal, seus poemas são como um mergulho profundo nas águas da vida. Textos muito puros, envolventes, vale a pena ler os seus poemas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se é Arte, é Categóricos!