25.2.14

Crônica

Seja Feliz. Me decepcione!
por Dedé Vieira

Calma, não vamos entender isso ao pé da letra. Acontece que às vezes para atingirmos certo grau de felicidade infelizmente temos que decepcionar alguns. Mas isso é algo involuntário, não queremos fazer isso, mas é preciso. Como aquele velho ditado “Não podemos agradar a gregos e troianos”.

Não quero defender aqui o individualismo, mas sim escancarar como portas abertas de prostíbulos que a realidade do termo felicidade não se define no coletivo geral. E é muito simples entender por que, por causa da rotatividade que o capitalismo gera em nós. Um mundo simplesmente de venda e compra. Se você é feliz, alguém quer comprar essa sua felicidade, como não consegue isso se decepciona.


Ainda podemos encontrar a felicidade mutua (ou em termos simples: para todos e por igual) talvez num plano superior, mas não vamos entrar em questões religiosas. O fato é que a nossa realidade é assim, você não precisa querer aceitar. Mas te digo, se aceitar, você se decepciona menos.