Sátiras

Bem vindo a Seção
BAÚ DE GENTE
____________________________________________________________________







Dedé Vieira 
Escritor e Contista
__________________________________________________________



Por Dedé Vieira, 11/10/17
A de amor-(daçado) com a saliva movediça


Quero teu amor, quero fazer amor com você. Quero florir teu sorriso, deixar transcender.

- ele dizia tudo isso e quando percebi o querer não passava de um simples desejo. 




Dedé Vieira - Facebook



_______________________________________


Por Dedé Vieira, 30/08/17


Onde foi que não entendi? Sim, você é, mas não é, você quer, mas não quer! Você tem tudo que precisam, mas não é aproveitado e como fica? 

Fica? 

Simples, volte 20 casas e lá trás verás o erro, sendo assim poderá aqui na frente desatar os nós.  


Dedé Vieira - Facebook


_______________________________________



Por Dedé Vieira, 04/08/17
Luzdria

- Sabe Adriana, eu costumo parar e pensar em tanta coisa referente as percepções humanas, o olhar humano pra tentar canalizar em meus versos e poesias e esses dias estive refletindo sobre a quantidade de luz que absorvemos diariamente, a cada segundo, em sentido literal. 

- Como assim?

- Por exemplo sabia que existe uma célula que capta a luz que entra em nossa retina chamada fotorreceptor e existem dois tipos de células que regulam isso, as bastonetes e os cones? 

- Não sabia

- As bastonetes detectam a luminosidade do branco e preto que entra em nosso olho e os cones as cores que enxergamos, calcula-se que em cada olho exista 6 milhões de cones e 120 milhões de bastonetes. 

- Caramba!

- Agora imagina que em meio a tantos milhões de luzes, aquela luz e cor exclusiva que vem de você está captada e alojada em meu cérebro. Diante dessa magnitude ainda acha que é exagero meu dizer que "você é luz, é raio, estrela e luar"?

Dedé Vieira - Facebook


_______________________________________



Por Dedé Vieira, 07/07/17
Desnuda


Esta noite foi tão incrível, maravilhosa. Eu transitava sobre os sonhos que não sonhei, sobre versos que não compus, sobre os agradecimentos que não proferi, mas esta noite foi muito incrível, pois enquanto caminhava no transe de meu sono segurava firmemente nas asas de coisas supérfluas, propósitos fúteis, mas ainda sim esta noite foi incrível, incrível no sentido de  espetacular, pois meus sorrisos se estendiam de uma maneira tão fácil e puro ao mesmo tempo que minha alma estava vazia e isso me corrompia lentamente, mas esta noite foi maravilhosa, simplesmente incrível.

Eu falava das minhas coisas e enchia a boca espalhando meu egoísmo mais sórdido, você precisa ver, foi lindo, uma sensação única, incrivelmente maravilhoso. Eu atropelava meus amigos com palavras e discursos de ódio e a cada agressividade minha duas pessoas morriam sufocadas com a própria cerveja que bebiam, foi legal demais, foi incrível. E no auge do meu percusso percebi que todas as pessoas estavam caindo tendo eu a opção de levantá-las segurando firmemente em suas mãos e adivinha o que escolhi?

...essa resposta eu não sei te dizer por que foi aí neste exato momento que acordei. Mas eu não estava desesperado, atordoado ou ofegante, simplesmente me ajeitei e sentei sobre a cama no mais sereno dos movimentos, aquilo não era um pesadelo pra mim, ao contrário era incrível, foi maravilhoso perceber o quanto eu estou vivo e o quanto necessito do outro. Foi incrível se desnudar e enxergar a alma por completo, ver atitudes pequenas que deixamos passar despercebido pelo mero egoísmo e desculpa da falta de tempo. E se fosse ao contrário? E se isso.. e se aquilo? Já não importa pra mim, não! Faço nem questão, afinal estou vivo, bem vivo e com o tempo a meu favor pra contrariar a alma desnuda.                                                

Dedé Vieira - Facebook

_______________________________________


Por Dedé Vieira, 23/06/17
A Laje

Banho de sol entre as caixas d`água e uma vista deslumbrante das casas que completam o bairro. Faço um 360 e os olhares pupilam me arrepiando, eles enfatizam o quanto amo esse lugar. Preso em um condomínio envolto por alguns metros quadrados, mas ali acima do 15º andar parece que agarro o mundo. 

Dedé Vieira - Facebook

_______________________________________


Por Dedé Vieira, 15/06/17
Janete Boaz


Tantos amores e sabores já experimentou, mas pra Janete Boaz algo corrompia seu coração. Romances atrás de romances, homens diferentes, uns carinhosos, outros nem tanto, mas um de cada vez. Mulher vivida, linda, inteligente, mas algo corrompia seu coração, pois com tantos amores e sabores só sentiu o amor uma única vez, a vez que passou a conviver ao invés de experimentar.


Dedé Vieira - Facebook

_______________________________________



Por Dedé Vieira, 09/06/17
Fábula do Azul e Rosa


Meninos e Meninas quando brigam fazem as pazes, enquanto homens e mulheres o desfazem. Meninos e Meninas arquitetam planos juntos enquanto homens e mulheres duelam pelo poder. Meninas e Meninos dividem seus pertences enquanto homens e mulheres lutam pela separação de gêneros. Meninos e Meninas dão risadas dos mesmos desenhos e não ligam para a cor enquanto homens e mulheres os guiam pelo azul e rosa. Meninas e Meninos tem muito a nos ensinar que não precisamos levantar bandeiras e sim SER humanos. Acontece que pensamos tanto em efeitos mágicos para a cura de todos os males e esquecemos de ser Meninos e Meninas para nos tornarmos homens e mulheres.


Dedé Vieira - Facebook

_______________________________________


por Dedé Vieira, 01/06/17
Pra Gente se Curtir


As novas relações sobre os casais da atualidade causam um verdadeiro nó tecnológico. Mônica e Ricardo são casados à três anos e sempre que a rotina os afoga, surge a fala:

- Amor, precisamos reservar um tempinho só pra nós, pra gente se curtir mais.

Eu realmente acreditei que eles estavam falando no sentido mais pleno da afetividade, só que quando Mônica e Ricardo saíram para jantar não desgrudavam os olhos de seus celulares. Realmente eles estavam se curtindo mais.


Dedé Vieira - Facebook

_______________________________________


por Dedé Vieira, 24/05/17
Vem cá Condessa!


- Olá senhorita Condessa, como foi a viagem?

- Foi bem, o Brasil é um país interessante, só que os brasileiros são bem bravos.

- Bravos, por quê?

- Sei lá. Eles falam o tempo inteiro de direita e esquerda, não entendi muito bem.

- Sim, já sei o que é. Vem cá Condessa!

- O que foi?

- Olhe para o pasto.

- Sim, um belo e grande pasto, mas o que é que tem?

- O pasto é como fosse o Brasil, aqueles animais ali no fundo são como os brasileiros. Lá, eles estão divididos em dois times e brigam entrem si, por exemplo, ali no pasto é como se os burros fossem do time da esquerda e os asnos fossem do time da direita.

- Mas senhor, burros e asnos são as mesmas coisas, se comparas o povo brasileiro a isso, então por que há tal divisão?

- Eis a questão!


Dedé Vieira - Facebook
_______________________________________



por Dedé Vieira, 17/05/17
Espírito Baixo

A caminhada é longa até a estação de trem. Faz frio, mas parece que em Jandira os ventos torturam 2 vezes mais. Parece que aqui as pessoas são mais apáticas. Parece que aqui o chão é mais imundo. Parece que meus vizinhos são os piores vizinhos do mundo. Parece que o ar daqui é uma nuvem de veneno. Parece que a camada de azar está alocada aqui. Parece que a burrice é um critério dos cidadãos daqui e por ser critério, sou um completo burro por não ter forças de sair dessa bagaça. Parece que até os cães são rabugentos. Parece que não há mulher decente. Parece que só tem nóia. Parece que tudo é podre. Parece que não vou conseguir... mas tudo só parece até eu chegar na estação Jandira da cptm.

Dedé Vieira - Facebook
_______________________________________



por Dedé Vieira, 10/05/17
Zerei

Dormimos em colchões postos no chão, quando acordo presto atenção no som ambiente e lentamente abro a janela. Tomo meu café preocupado, olho para todos os cantos, observo cada detalhe nas paredes em frações de segundos, logo saio. Lá fora presto novamente atenção ao som ambiente e aí desço o morro pelos escadões e becos

- Coé muleque, vai pra onde?

- Pra escola!

- Tá maluco, tá cheio de policia lá embaixo, ninguém vai sair da comunidade hoje, vamo "sacudir os bichos". Vai, circula!

Faço aquilo que me pedem, entro em casa, tranco as portos e assim zero a vida todo santo dia.


Dedé Vieira - Facebook
_______________________________________


por Dedé Vieira, 03/05/17
Diz amor, Dissabor, Desamor

Oi Dinda, antes quero lhe dizer coisas!

Dinda, o 'Eu Te Amo' se tornou tão pouco, tão medíocre e esparramadas migalhas, se tornou banal, sujo e interesseiro, aquele interesse egoísta e descartável. O Eu Te Amo é fútil, desprezível e fede a chorume, virou comércio que gira e aprisiona milhões e milhões nos fazendo simplesmente de imbecis, induzindo-nos a comemorar períodos sazonais. 

Parece um pacote com um belo embrulho, mas por dentro o presente é podre. É esse dia que estão tentando nos vender e por quê Dinda? Será que precisa ser assim?

Não, não compramos fique sossegada. Eles são bons vendedores, mas se esqueceram de um detalhe, a alma podre exala odores e nós somos poetas, prontos para nos esquivar e nos esquivando ganhamos mais tempo te admirando, seguindo seu exemplo, te agradecendo e te fazendo sorrir. Não necessariamente nessa ordem pois algumas vezes fomos tranqueiras e suas broncas vieram para ser nossa luz. 


Dinda, ponha mais água no feijão, aí o povo adora feijão né, estamos chegando, o mundo foi bacana pra nós até onde deu e quando não servirmos mais, foi traiçoeiro com a gente. Eu sei Dinda, você se foi poeticamente e queria que fôssemos igualmente, só que a tortura invisível nos ganhou, mas deixa isso pra lá, agora já era. Somos o desamor que virou tendência.


Dedé Vieira - Facebook
_______________________________________


por Dedé Vieira, 19/04/17
Menino, menino!


Vivi no meio de crendices, dessas que "o povo me disse". Valha-me Deus de tanta superstições, são tolices. Mainha sempre me levava a reflexão pura com seus ditos tenebrosos envolvendo seres e criaturas, mas também menino levado que era só assim pra aquietar. Papai com sua sabedoria plena nos ensinava os caminhos e atalhos da vida e só depois de adulto percebi que o céu só é céu quando tu passa pelo inferno.

Dedé Vieira - Facebook
_______________________________________


por Dedé Vieira, 05/04/17
Alma Negra da Cor Preta

Jovem negro de alma branca, não aceito por sua cor, mas transformado pela sociedade no seu lado interior. Lúcio, morador do Grajaú arrumou um novo emprego no centro de São Paulo muito distante da região sul, muito distante de cheiros, de aconchegos, de ideologias, de realidades... não as sofridas, mas a realidade de um mundo libertador. Simpatia que contagiava seus colegas do escritório,

- Vem cá Lúcio. Galera deixa eu apresentar essa pessoa incrível de alma branca! - A zoeira comia solta, eram "brothers" e "brothers" podem. 

Descansar? Não! É hora de estudar, conseguiu uma bolsa integral para seu curso de marketing realizar. ESPM facul de "playboy" distante de sua realidade, mas isso é um pensamento arcaico e pra Lúcio mera vaidade. Aproximado de muitos colegas cheio da grana e a realidade melhorada, favorável, os bacanas.  

- Você vai chamar o Lúcio? 

- O que que tem?

- Nada, adoro aquele moleque, mas os seus pais são...

- Relaxa, meus pais já conheceram a figura, o Lúcio tem alma branca. Gente boa, gente como a gente. 


Dedé Vieira - Facebook
_______________________________________


por Dedé Vieira, 22/03/17
Por Onde Anda Seu Sucesso?


- Anda Thaís, precisa se apressar ou vai chegar atrasada!

- Você acha mesmo que vai dar certo Mãe?

- Claro que vai filha, sucesso na certa!

Foi aí que descobri que minha vida estava coberta por sucessos, sucesso por ter apoio familiar, chegar no horário na entrevista de emprego é um sucesso, fazer uma boa entrevista de emprego é um sucesso, voltar pra casa vivo, isso sim é um baita sucesso e ainda tem gente se matando pra alcançá-lo. 

Ah e eu não passei na entrevista. Não, isso não foi falta de sucesso, pois a empresa faliu dois meses depois, sei lá, acho que até mesmo em certos males temos sucessos.



Dedé Vieira - Facebook
_______________________________________


por Dedé Vieira, 08/03/17
Elas...


Alberto é daquele típico pai babão, sua filha Carolina acaba de completar 3 anos de idade. Muito serelepe e falante Carolina fez com que Alberto mudasse alguns conceitos sobre o suas explicações.

- papai, qual o tamanho do mundo?

- Ah filha, o mundo é imenso de grande

- mas de qual tamanho?

- do tamanho do abraço do papai!

Carolina pensou, pensou e pensou, abraçou seu pai diversas vezes e viu que realmente o abraço dele era super grande. Na manhã seguinte Carolina interrogou Alberto novamente

- papai?

-Fala filha!

- o mundo é do tamanho do seu abraço né

- Sim, do tamanho do abraço do papai.

- então salva ele!

- Salvar? Como assim filha?

- Salva o mundo!



Dedé Vieira - Facebook
_______________________________________




por Dedé Vieira, 01/03/17
Playground


- O que você acha da vida? 

- Ah doutora, acho que vida é como uma roda gigante como  todos dizem, ora estamos por cima, ora estamos por baixo. 

- Certo, pegue suas coisas por gentileza. 

- Ué, mas já acabou a consulta doutora? 

- Não, apenas vamos visitar um lugar. 

__ 

- Um parquinho? 

- Sim, um parquinho, você sabe qual o nome desse brinquedo que estamos? 

- Claro que eu sei, é um gira-gira né 

- Isso. Agora você pode descrever a paisagem que está vendo atrás de mim? 

- Posso, bom atrás de você tem um lugar lindo, um jardim bem cuidado, a grama bem aparada. 

- Você gostaria de viver num lugar assim? 

- Lógico que sim! 

- agora vamos girar esse brinquedo. E agora qual a paisagem que você está vendo? 

- Eu vejo uma favela. 

- é um lugar bonito? 

- Não, é um lugar bem feio, esgoto passando a céu aberto, lixo e mais lixo. 

Creio que a metáfora da roda-gigante não seja tão honesta para simbolizar a vida. Ninguém é melhor do que ninguém, ninguém é superior a ninguém e a partir do momento que nos comparamos a roda-gigante estamos assumindo um estado de superior e inferioridade, o que não é verdade. Nós, todos nós estamos no mesmo plano, como o brinquedo gira-gira, o que muda é o vislumbre do horizonte que cada um tem, às vezes a vida nos dá um pano de fundo horrível, triste e depressivo, mas cabe a cada a nós impulsionarmos o brinquedo e mudarmos o olhar, muitas vezes por desânimo acabamos tendo preguiça de simplesmente tentar empurra o brinquedo e era um simples giro que poderia mudar a sua forma de ver e seguir na vida. A questão é: não vá nos brinquedos errados.


Dedé Vieira - Facebook
_______________________________________




por Dedé Vieira, 15/02/17
Pingueira



- Eh, desculpa, eu não entendi!

- Como não entendeu? Veja bem, para um bom entendedor um pingo é uma letra.

Um senhor entra na padaria:

- Me dá um pingado!

No rádio do seu Moacir tocava uma música cujo refrão era:
"- Se nessa casa tem goteira... pinga 'ni' mim".

- Eu já te disse seu Moacir, espera pingar no bolso que eu lhe pago.


Depois de observar essas cenas levantei, paguei meu café e saí.

Dedé Vieira - Facebook
_______________________________________


por Dedé Vieira, 01/02/17
O Despertador

O despertador tocou, levantei correndo, escovei os dentes, na cozinha minha esposa já preparava o café

- As crianças já levantaram, amor? peguntei a ela

- Já sim, estão se trocando.

Hoje era minha vez de levar elas para a escola, ah droga! esqueci que hoje preciso levar o cebolinha no petshop pra tosar, certo, levo as crianças na escola, passo no petshop e deixo o cebolinha lá. 

- Amor! hoje combinamos de almoçar juntos, lembra?

Puts! eu me esqueci totalmente disso, justamente hoje que foi marcada uma reunião de reformulação estratégica na empresa, mas é melhor eu não contar pra ela agora, isso!

Chego no trabalho, uma mensagem da minha mãe me lembrando sobre o jantar de família, havia 10 anos que a família inteira não se via, mas tenho prova importante na faculdade, preciso dela pra concluir minha pós. 

O despertador toca...
...tenho 85 anos, levanto e não vejo minha mulher, não vejo meus filhos, não vejo minha família, não preciso ir ao pet shop pois nem o cebolinha está aqui. O despertador toca na minha existência, pois na verdade eu nunca tive essas coisas elementares, tudo isso nunca foi real. Enquanto vendia minha alma ao mundo, esquecia de viver, enquanto o materialismo escarrava em mim, deixei de ir aquele encontro e conhecer a mulher da minha vida, fui um filho e parente ausente, passei a amar os animais errados, eu amei os animais que só quiseram me fuder!

O despertador toca, toca,toca e eu não estou mais lá e nem cá...

Dedé Vieira - Facebook
_______________________________________



por Dedé Vieira, 18/01/17
A Corda Timóteo! 

Timóteo fingiu que subiu às escadas, mas não passou do segundo degrau, parecia difícil completar a subida e preferiu continuar aqui mesmo, no quintal. Mais tarde descobriu-se que ele estava amarrado a uma fina corda podre e por que diabos ele não deu um tranco para quebrar a corda? - Por que quando pequeno Timóteo sempre tentava arrancar a corda sem sucesso. Quem amarrou a corda nele? - Os outros. Timóteo parou de tentar subir a escada até que certo dia adormeceu ali no quintal e nunca mais acordou.  

Dedé Vieira - Facebook
_________________________________________



por Dedé Vieira, 03/01/17
Não Alimente os Animais


Seus pais sempre lhe ensinaram pra não falar com estranhos e contraditoriamente eles diziam para ser uma pessoa que se interessa pelo seu semelhante. Seus Professores sempre lhe ensinaram a pensar primeiro em você e o resto que seja resto... mas ao mesmo tempo tentavam passar  a ideia  de que o humanismo é importante. Pois é caros amigos, somos aquilo que eles construíram, uma sociedade sem oportunidades, uma sociedade que nunca teve o direito de simplesmente sonhar. São crianças, são adultos, são idosos, são moradores de ruas, seres humanos que moram nas ruas, ser humanos que habitam nas ruas, que não se dão o luxo de sonhar, de criar expectativas, de apenas viver modestamente. 


De um lado estão “eles” que não se interessam, ou melhor, nem ao menos sabem o que é o interesse altruísta e simplesmente se defendem como podem, sem raciocinar, se aquecem com os “bagulhos” para sobreviver e tiram de nós o que for preciso para alimentar o seu extinto. Do outro lado estamos “nós”, os “tais” seres pensantes, os metidos a intelectuais, os mentirosos quando dizem que se interessam pelo próximo de uma forma genuína somente para ver o melhor dos outros. “Nós” que nos chamamos de seres humanos normais não queremos saber deles, queremos é mais que “eles” desapareçam.

Fomos criados para nos autodestruir, fomos ensinados a não alimentar mendigos – “não alimente os animais”. Fomos ensinados a ver tudo isso e simplesmente fingir que está tudo bem e eles que morram. Fomos criados para sermos bichos, instruídos a ter orgulho e que cada um lute pelo seu alimento, só que se esqueceram de um detalhe: bichos não raciocinam, não sabem o que é orgulho, estamos fazendo isso errado nessa carnificina humana onde não existem fortes e fracos, só há bichos.

Dedé Vieira - Facebook
_________________________________________


por Dedé Vieira, 07/12/16
Preciso Falar

Em dias que precisava falar, simplesmente conversar, saí de casa para espairecer. Logo cedinho, pelo amanhecer busquei lugares que pudessem me satisfazer. Precisava falar, conversar com alguém, pessoas, dialogar, escutar. Entrei num ônibus com destino ao centro, horário de pico, abarrotado de gente, tinha nego saindo pelo teto, aí pensei: Estou no lugar certo!

Puxei assunto com uns, fiz umas piadas com outros, só que no fim acaba tudo igual, todos tinham a mesma atitude, um sorriso amargo no canto da boca sem terem proferido uma única palavra e voltavam a mexer no celular, e alguns nem internet tinham, só ficavam com o polegar deslizando pra cima e pra baixo sem objetivo, feito tontos. Voltei pra casa e liguei a TV.

Dedé Vieira - Facebook
_________________________________________


por Dedé Vieira, 30/11/16
Ecos!

Lá, bem lá longe ouço vozes, um coro agudo e graves, pensei que fosse ópera, mas não. Lá, bem lá longe vejo imagens desfiguradas, pensei que estava ficando cego, mas não. Guerra? Talvez. Paz? Tá difícil viu, mas se você perguntar para o cara da banca de jornal, talvez ele saiba aonde encontrar esse negocio aí. Lá, bem lá longe nada é igual o céu, lá sinto o cheiro das flores, elas realmente tem cheiro de morte, Osasco!
Dedé Vieira - Facebook
_________________________________________


por Dedé Vieira, 02/11/16
Maquinizamos!

Estamos no século 21 finalmente, tempos modernos, liberdade e honestidade social... ops... 'pera'! Suspeito que não é exatamente assim, percebo que ultimamente nós estamos cheios de respostas prontas para tudo, quer ver? Ali estão meus amigos, vou lá falar com eles, se liga na conversa:



- Eaê rapaziada,'ceis' tão bem? 

- Fala Dedé, tudo certo e você?

- Tô bem, na paz graças a Deus!

- Eai o que me conta de novo?

- Tudo na mesma e com vocês?
- tudo caminhando também.
- Aí precisamos marcar aquela 'breja' hein!
- 'Demorô'!

E assim foram nossos longos 5 minutos de "conversa boa." Só que não pára por aí, resolvi andar pelo bairro e cumprimentar todos os meus conhecidos, olha só:

- opa, bom dia, tudo bem?

- bom dia, tudo bem? (Isso mesmo, a pessoa me respondeu fazendo a mesma pergunta)

- bom dia, tudo de bom pra você!
- bom dia, desejo o dobro pra você! 

Pra resumir e poupar seu tempo, essa resposta escutei no dia umas 20 vezes, sem exageros, agora a pergunta que não quer calar: será mesmo que essas pessoas desejam "Tudo em dobro para mim de verdade?" Se for assim terei tudo de bom ao extremo, serei feliz pra caralho! "Tudo em dobro pra você!" Sinto que essa não é uma resposta tão honesta assim, mas tudo bem, faço a mesma coisa e é vida que segue. Maquinizei e pronto!


Dedé Vieira - Facebook
_________________________________________




de Dedé Vieira, 19/10/16

Ecos!

Lá, bem lá longe ouço vozes, correria e muvuca. Eram tiros! Ninguém sabia de onde vinha. Um rapaz ensanguentado sobe a rua e morre, o céu brilha só que não são estrelas, são estralos das balas cruzando mundos. Dois suecos conversando: 

- isso tem no netflix?

- sem emoção deve ter.

- e com emoção?

- vá ao Brasil, Rio de Janeiro!


Dedé Vieira - Facebook
_________________________________________



por Dedé Vieira, 05/10/16
Andarilho


Ando por ai sem medo, sem receio, tranquilo, não sei o que vou encontrar em cada esquina, em cada lugar. Sou o que muitos dizem de perdedor ao léu, pra onde o vento soprar, lá estará meu céu. Conheço cada passo dessas ruas, cada milha dessa estrada, moças decentes e vadias, toquei samba com a rapaziada. O indiscoberto me causa arrepio, ansiedade em desbravar barros, vilas e morros... enfim, toda cidade. Nas favelas me vi acuado, senti certa preocupação, só que lá todos se conhecem, desde o menor ao ancião. 

Senti sorrisos pois sou à incerteza. Não tenho destino meu caminho é a leveza. Em cada manhã via o impulso que movia todo o sentido da existia que ia. E ao entardecer lá estava eu, sem medo me sentia. Conheci mundos, universos, os tais reais e os paralelos. Fui a lugares que nem um dos meus imaginavam, longe, bem longe.

Sem deixar vestígios nunca quis fazer história, meu papel era voar e por aí sair, observar. Sem hora pra voltar me perguntam:

- Seu andarilho, o senhor é feliz?

- Felicidade é a interpretação de cada objetivo - respondi - Meu objetivo é não ter objetivos, sou feliz por que a vida me trás todo dia o novo, o diferente de uma forma completamente natural.


Dedé Vieira - Facebook
_________________________________________



de Dedé Vieira, 28/09/16
9 Coisas e Meio


Ártamedes era um jovem muito esforçado, sempre correu atrás do seu ideal de maneira honesta. Um rapaz de uma conduta exemplar, em cada canto que chegava tratava logo de espalhar alegria com seu bom humor contagiante, suas atitudes eram dignas, suas ações melhores ainda, tudo que ele fazia era sempre em prol do bem estar do outro, só que mesmo assim ninguém nunca se quer lhe deu um parabéns, um obrigado,  ou um "valeu" qualquer, pelo menos não de maneira sincera. 

Ártamedes sempre acertava, quer dizer, teve uma vez que ele errou. É como se disséssemos que de 10 coisas, 9 e meio foram os acertos gloriosos de Ártamedes - meio, meio, meio... somente meio, foi o que ele errou e foi somente no erro, esse meio erro que fez todos, absolutamente todos crucificarem o caráter e a honra de Ártamedes de uma maneira animalesca, destruíram a reputação do pobre rapaz com comentários ofensivos, dia após dia, por causa daquele mísero 'meio' erro. 

Ártamedes nunca esperou reconhecimento pelas coisas boas que realizou para os outros, mas também não entendia como um erro tolo pudesse ser de maior repercussão. No fim, Ártamedes não aguentou a pressão dos outros o difamando e se suicidou por overdose. Qual foi o erro de Ártamedes, ele simplesmente esqueceu de levar o lixo para fora!


Dedé Vieira - Facebook
_________________________________________


de Dedé Vieira, 21/09/16
Sal a Gosto

Hora do almoço, adentro o restaurante com o pessoal do firma, procuramos uma mesa.

- pra cinco por favor!

Galera do trampo, sempre almoçamos juntos. No almoço de hoje me bateu um cinco minutos de reflexão, não que eu não tenha reparado nos outros dias, mas é que hoje reparei que em todas as mesas o Sal é liberado a vontade,  achei meio que um descaso, pois convenhamos que o sal é o tempero mais importante da comida, um almoço sem sal algum é horrível. É que nem nossa vida, uma vida sem graça é uma vida sem sal, porém nos restaurantes o sal é distribuído gratuitamente, agora a pergunta que não quer calar: quando minha vida estiver sem graça, aonde encontro o sal que vai temperá-la? 

Deve ser por isso que as pessoas vão a praia.


_________________________________________


de Dedé Vieira, 14/09/16
'A'onde Está Titia?

Chego de tarde ainda com claridade. Lá no parque que saudade da pré-escolaridade, a criança insistia, não falava, só discutia:

- Cadê mamãe? Aonde está titia?

Aonde ou onde? Como se diz? Isso é pronome?

Quem vai, vai à algum lugar.

- Então mamãe, Onde está titia?



_________________________________________


de Dedé Vieira, 07/09/16
Perambular



Qual o sentido de perambular?

- Eu perambulo em notas tão frias e mesmo assim encontro o tom, 

- Eu perambulo em noites vazias e sempre encontro a manhã.



Afinal, será para se encontrar é necessário se perder? 



Se você está dentro de uma casa e gosta muito dela e tudo que há nela, objetos, pessoas, pituras, só que há dúvidas se merece estar ali, simplesmente saia. Sai! Vai pra fora! Fique do lado de fora!



...e observe! 



Viva lá fora e observe a casa!



Se sentir uma vontade incontrolável de voltar para dentro da casa, volte! 


_________________________________________


de Dedé Vieira, 31/08/16
De Lua


Meninos, meninas, homens e mulheres, Ah! como ela é linda, como ela é bela, testemunha da paixão. Confidente de personalidades, ontem era amável, hoje detestável. Repudio suas fases não as da lua, mas sim as suas. Me diz quem é você, tudo bem, não precisa mais.



_________________________________________


de Dedé Vieira, 17/08/16
Turva


Turva é a frequência em que meus olhos te julgam, é a potencia do meu amor ao próximo, é o grau da minha paciência, tolerância, o instante que te vi chegar não vendo a hora de se retirar. Sou gotas turvas pra rezar, a plenitude do meu bel prazer. Caminho na areia assim pra espairecer, de leve, chutando os grãos. Sorrisos no canto te enforcam, te inibem, te jogam no chão, não sou de pensar três vezes, chances temos apenas uma, então se entregue pois seu espirito pobre me insulta.

Turva é a frequência da sua mesmice, da sua falta de acreditar, turva é a minha sensibilidade, pois aprendi a crescer e crescendo eu esmago meus fantasmas, ao contrario do que faz, que fica remoendo suas dores. Turvo é o silêncio no seu coração, com tantas porcarias que consome. Come apenas cadáveres, é por isso que sua alma fede. 

Turva é minha hipocrisia que mesmo te amando ainda consigo ter forças pra te amaldiçoar. Turva são suas palavras, suas melodias desafinadas e sua brisa retardada. Se sou turvo então não se aproxime e mesmo sabendo, ainda faz questão de estar aqui. Turva foi minha insistência ou a falta dela que demoliu as esperanças de ver o seu mundo turvo ser o mais belo dos cristais. Agora agoniza no seu pranto mais efêmero, se nunca convalesceu como pode me dizer que é feliz?

Quero dias turvos para rabisca-los em meus papeis e com cores quentes encontrar finais de semanas cândidos.


_______________________________________


de Dedé Vieira, 10/08/16
Diário do Centro de São Paulo

Estava com medo da 'véia' que estava com medo de mim, estávamos com medo do cara que estava com medo de nós. No final tomamos uma cerveja e rimos disso.



_________________________________________


de Dedé Vieira, 03/08/16
O Convite

Se ele te chamar pra sair, não vá!
Você corre risco, sabia?
Por que lembra daquela vez que ele te chamou pra jantar? Teve aquela outra vez que te chamou pra assistir uma peça de teatro, imagina só, teatro?! 
Lembra também quando você fingiu que iria com ele a um barzinho super bacana, bem frequentado, comida boa e que sempre tem um cantor de MPB? Você desmarcou em cima da hora só pra ver a cara de babaca que ele tem.
Por que se ele te chamar pra sair, não vá!
Ele é o típico que ainda retribui gentileza com flores e presentes, cafona! Se acha o aventureiro, te chamou para praticar Rapel num dos lugares mais sensacionais da cidade, e você? É claro que você não foi. Por que se ele te chamar pra sair, cuidado! Você corre o sério risco...
...de ser feliz!


_________________________________________


de Dedé Vieira, 27/07/16
O Elevador


Tenso, jeito tenro, perfumes que se misturam, conversas mirabolantes que passam e se ouvem nesse instante.  E lá no 5° andar Gertrudes, querida Gertrudes o meu ponto de consolo mamãe. 



- Mãe, a senhora pediu para eu sair e só voltar para casa quando encontrasse o equilíbrio da vida, não foi?



- Sim filho, e ai, o encontrou?



- Encontrei sim mãe, está bem na minha frente! 





_________________________________________


de Dedé Vieira, 20/07/16
Homem de Toca


Esquina, vire a esquerda e continue nessa calçada. Lá vem um homem com toca preta, atravessei a rua  rapidamente e do outro lado, outro homem de toca.


E agora, pra onde ir? Fiquei parado e quando dei por mim, os homens de toca estavam com medo do meu jeito paranoico. No fim todos estavam fugindo de todos. Estamos cercados de estereótipos sombrios onde o medo não está nos outros, mas no louco que há dentro de mim.


_________________________________________



de Dedé Vieira, 06/07/16
Vou Ser Papai!


Ali eu ia seguindo em uma tarde tranquila. Foi quando bisbilhotei, olhei uma mensagem alheia, foi impossível, quase difícil desviar o olhar, é engraçado pois 

tudo parecia se encaixar.


"você vai ser papai!"

Quem, eu? Não. Essa era a mensagem. Assim do nada, vi uma mulher que no celular digitava e quanto mais ela escrevia mais eu me empolgava. Sem perceber, eu participava da sua história, eu participava da sua alegria, eu participava do seu sorriso. Esse pai deve ser um sortudo! Sei lá, só estou feliz por que esse pai não sou eu.



_________________________________________


de Dedé Vieira, 06/07/16
Salto Alto


Por natureza ela é muito brilhante e sabe disso, chama atenção por onde passa, tão estonteante, porém insiste em ser futilmente errante. Se aproximar de pessoas fúteis é como viver em um jardim de flores mortas. Ela ainda acredita que sua voz é a última, mas se torna apenas a Rainha dos passos em falsos. Andara por ruas tortas, mas nunca se deu conta que sua vida é vazia.




_________________________________________


de Dedé Vieira, 22/06/16

Amizade Relativa



Te conheci, mas não te vi, nos aproximamos, mas não te vi. Trocamos segredos, assuntos que não me dizem respeito, mas não te vi. Bati asas pra te encontrar como o bem-te-vi, mas mesmo assim não te vi. Como isso é possível num mundo cheio de possibilidades? 



Onde estará agora? Eu não sei. Só sei que mesmo não te vendo, eu consigo abraçar suas ideias, frustrações e inclusive seus medos. E se um dia eu puder te ver, nem que for por alguns instantes, não vou falar, não vou pedir perdão, vou apenas te olhar, te agraciar, por acreditar naquilo que nunca vi. 



E como é linda, algo me diz. Sou um aprendiz e posso errar, como errei com você, mas foi tão forte que erros vem pra fortalecer. Pode não parecer mas sou um achegado seu, um amigo seu e só peço a Deus pra te abençoar. Mas como é possível de certo o nada nos aproximar? Duas paralelas que nunca se cruzam, nunca se trombam. 



Onde estará agora? Eu não sei. Deve estar vivendo sua história, como estou vivendo a minha. Te conheço, mas não te vejo, me arrependo dos meus erros, erros que nunca me fizeram tocar a sua mão.




_________________________________________


de Dedé Vieira, 08/06/16
A Menina de Interlagos



Entre diálogos e confusões , lá estava ela brilhando com seu sorriso. Bem pra lá de rios e lagos, lá estava ela, convicta do seu ser e rodeada de felicidade. Aquele amanhecer parece ter um toque especial, sorriso misturado com olhar ou será que eu fui a confusão mesmo sem nunca te avistar? 



Parece ter bons motivos que te fazem flutuar. Não sou conhecedor do mundo, mas se em cada esquina tivesse um toque do brilho teu, todas as minhas manhãs seriam completas, pois o indecifrável agora é decifrável. O embaraçado agora é obvio, o doido mais doido fica. 



Tudo está a mesma coisa, a vida vai como sempre foi. Mas a única certeza sem demagogia alguma ou ‘Médias’ é que sem você realmente, não tem mais Graça!



_________________________________________


de Dedé Vieira, 18/05/16
Carinho Nada Falso e Muito Mais Absoluto



Pressinto sua fala em notas suaves e singelas, pois sei exatamente em que céu está. Não uso palavras difíceis para descrever aquilo que deve ser tão claro, nem muito menos sensíveis para não se perderem em coisas doces, no obvio e no descaso. 



Não preciso de exageros pra levantar sua alto estima, pois seria hipócrita. Não quero sua sombra, nem te cantar, eu quero você pra me ouvir, eu quero te escutar. Sua sintonia me faz energizar, me faz sentir o chão seguro, me faz te amar. Sou pequeno e muitos ainda não me entendem, uso palavras explicitas pra desmentir os que mentem. Mentem sobre mim mentem sobre ela, mas o que interessa é só nós dois e o resto é só conversa.


_________________________________________


de Dedé Vieira, 04/05/16
Entre Carros

Os traços, as demarcações que nos dividem são ignoradas pelo voo livre dos pássaros. Enquanto ainda vivo entre faróis, vejo o seu luxo se misturar com o seu próprio lixo. Prefiro pescar sem anzóis, por que no meio dia a saudade que invade não passa. Vejo mil pessoas que ao todo soma zero. Sou viril, jovem sem flagelo e em minha casinha há apenas sonhos e acreditem, não são de padarias.



_________________________________________


de Dedé Vieira, 04/05/16
Bendita

Passos largos, vamos lá! Não tenho tempo, tenho pressa, sai da minha frente caramba. O inferno é logo ali, perto da porta que dá entrada a esperança. Ah, bendita esperança!



_________________________________________


de Dedé Vieira, 27/04/16
O Culto e o Palhaço


Não quero ser culto, prefiro ser palhaço. Pessoas cultas falam, falam, falam... e se prendem em palavras vazias. Prefiro ser palhaço. O palhaço fala, mas acha graça. O palhaço ri, chora, ouve... se somos desprovidos de conhecimento não queremos ser inibidos, queremos entender, preencher juntos.


Não quero ser culto e robótico, prefiro ser palhaço. Quero ler, pesquisar, investigar... só pra saber o melhor jeito, de te fazer gargalhar. Palhaços são gente como a gente. Palhaços são inteligentes, Palhaços são poetas.


_________________________________________




de Dedé Vieira, 20/04/16
Paciência Reticências


O movimento é muito louco, doido e frenético. Me preocupo com coisas do trabalho, mas ontem eram as do colégio. Sou maluco feito, rápido e sagaz. Sou efeito de uma massa que deturpa a moça e o rapaz.

Eu não quero a riqueza eu só quero comprar a sua vida por que sou o monstro que se esconde onde ninguém pode achar. Chamo pessoas para me verem, são incapazes De me encontrar. Esperando sua morte chegar, por aqui eu me sento, tão largo e sem mais nada. Prazer sou o seu tempo!

_________________________________________


de Dedé Vieira, 13/04/16
Aprendiz de Malaquias

Malaquias marceneiro dono do enredo de fiel trabalhador, escupia na madeira toda fonte nova, estribeira de seu louco amor. Experiência e valentia são marcas registradas desse nobre poeta de tardes vazias. 


Os meninos vinham ver Malaquias trabalhando e eu não entendia por quê? Um velho marceneiro, o que tem a oferecer? Malaquias vivia contando histórias, fantasias.. viajando. Velho Malaquias, como todos o conhecem, nos ensina muitas coisas de como o coração envaidece. 



Não ame demais, não ame de menos, apenas ame sem culpa sem muitos portentos. Malaquias nos ensina que a arte de viver é apenas uma: jamais subestime alguém.




_________________________________________



de Dedé Vieira, 06/04/16
Ensaio Sobre o Consumo


- Hei Carlos, meu amigo, quanto tempo não te vejo, como está?  pensa Carlos


Era tudo que eu queria ouvir, uma pergunta sobre como estou? Perdido entre a terra e o céu, objetivos que não atingi. Não sou herói, nunca fui herói, mas me virei muitas vezes para salvar vazias manhãs.


Não sou de lamentar, só argumento mesmo, argumentos e mais argumentos, palavras doces aos ouvidos, promessas fáceis. Mas numa certa madrugada, saí, quebrei a aurora. Fiquei umas duas, três, quase quatro horas ... esperando em mais uma entrevista de emprego. Estou no trem, rodei, subi escadas, desci escadas e minhas únicas lembranças não era mais dos meus filhos e sim dos números das linhas de ônibus.


Entrei, sentei, na sala de espera o recanto da tortura, só escutava-se o "tec tec" dos dedos mexendo no celulares, e mais uma vez o "tec tec" contínua e inóspita.Voltei correndo pra casa, entrei, sentei, respirei, então eu disse:



- Consegui o temporário! 12 horas por dia, durante uma semana, limpador de pratos.



Ufa! não vamos precisar vender a TV de plasma, 55 polegadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se é Arte, é Categóricos!